terça-feira, 9 de setembro de 2014

DOCENTES DO CURSO DE ENFERMAGEM E PRECEPTORA DO PET ONCOLOGIA SÃO ESPECIALIZANDOS DE ‘DOCÊNCIA EM SAÚDE’ E PARTICIPAM DE AULA INAUGURAL EM BRASÍLIA/DF

O Ministério da Saúde de forma inédita, ousada e audaciosa cria o Curso de Especialização Docência na Saúde e convoca aos profissionais educadores em saúde de todo o Brasil para uma ampla discussão que possibilite repensar o ensino universitário e o papel político da universidade e do ensino em saúde. O primeiro encontro aconteceu no Centro Internacional de Convenções do Brasil de 28 a 30 de Agosto de 2014. E a construção maior desta proposta deverá se dar entre universidade e serviço. Repensar a relação professor/aluno/paciente/família/comunidade problematizando o ensino que temos hoje e o ensino que queremos ter. Criticar os caminhos no SUS e avançar em uma educação multiprofissional e interdisciplinar.
 

O caráter desafiador dessa proposta demanda em promover interações onde a substância do trabalho em saúde seja a conversação. A conversa como condição humana de encontro. O SUS como imensa rede de encontro e conversação na produção e manipulação de afeto; na produção de modos de conviver juntos; na relação trabalho-valor-afeto-saúde. E isso nos faz refletir sobre como lidamos com a produção de intensidade de vida? Como vemos e escutamos o outro? Como vemos e escutamos o aluno? Como vemos e escutamos os profissionais? Como as experiências ocorrem? Visto que, experiência não é o saber que se faz repetidamente, mas algo que aconteça dentro de nós. Saber o que se passa em nós. Falar sobre o que acontece e não sobre o que vi, tão somente.
Este curso, com duração de um ano, busca gerar movimentos com protagonistas e entrecruzadas em várias universidades do Brasil em busca de soluções coletivas e entrelaçadas e não biográficas para os problemas de saúde do país. Eis o grande desafio.

Fonte: Professores da URI e Preceptora PET Oncologia - Santo Ângelo com a Tutora Dra Jussara Mendes Lipinski.
Dr Narciso Vieira Soares
Ms Neiva Claudete Brondani Machado
Enf Juliana Taise Bruisman

I ENCONTRO DE VIVÊNCIAS ESH 2014-2 SURPREENDE PELA QUALIDADE DAS DISCUSSÕES E O NÍVEL DE AMADURECIMENTO DOS ACADÊMICOS

Esmeram-se os educandos do Estágio Supervisionado Hospitalar para que, em recortes da realidade, possam de forma muito particular e ética descrever suas vivências no campo de prática.







As produções científicas, de forma similar, alcançam aos objetivos propostos e estão sendo preparadas para representar aos alunos do ESH e da URI Santo Ângelo em eventos que ocorrem no Rio Grande do Sul.


Ms Alessandra Frizzo da Silva
Ms Neiva Claudete Brondani Machado
Supervisoras ESH – Estágio Supervisionado Hospitalar

CURSO DE ENFERMAGEM DA URI SANTO ÂNGELO REPRESENTADO NA XIX JORNADA SUL-RIO-GRANDENSE DE NEONATOLOGIA E III ENCONTRO SUL-RIO-GRANDENSE DE ENFERMAGEM NEONATAL EM SANTA CRUZ DO SUL/RS

O evento que coloca em pauta discussões sobre as inovadoras ações no cuidado aos neonatos ocorreu em Santa Cruz do Sul/RS e foi palco de debates e reflexões sobre a forma de atuação dos profissionais de enfermagem no cuidado aos pequenos guerreiros e a fragilizada família. Repensar cotidianamente o cuidar e o olhar a este frágil usuário representa avaliar e dimensionar o efeito do nosso cuidar sobre a vida das pessoas e os potenciais fatores de risco a que nos colocamos e possamos colocar o sujeito, fiel depositário das nossas intenções de cuidado.


Hoje, mais do que nunca é imprescindível possibilitar ao profissional de saúde e aos acadêmicos em formação um olhar mais abrangente do ser humano e de tudo que envolve esta relação de troca entre profissionais e usuários. A conversação e o debate precisam apontar para uma forma de cuidar com mais intensidade por parte dos profissionais e maior afeto pela profissão.


Os acadêmicos do Curso de Enfermagem da URI Santo Ângelo, implicados cada vez mais com o tripé Ensino, Pesquisa e Extensão avançam no campo da pesquisa e desta interação surgem reflexões importantes sobre a prática no cuidado em saúde. Três trabalhos foram aceitos pela Comissão Científica do Comitê de Neonatologia da Sociedade de Pediatria do RS e destacaram-se por suas profundas problematizações. São estes os trabalhos que representaram a nossa universidade no universo do cuidado ao neonato e família: “Estratégias de Humanização em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal: uma realidade em Santo Ângelo/RS”, “Afastamento da Puérpera e Recém-nascido: humanizando um momento Intra-hospitalar” e “O Acompanhante no Parto: realidade controversa das Instituições de Saúde frente ao Direito da Mulher e do RN”. Ms Neiva Claudete Brondani Machado

sexta-feira, 9 de maio de 2014

TARDE DE CONVERSA ESH: DISCUSSÕES COM REPRESENTANTES DA CCIH E SESMT DO HSA NA CONSTRUÇÃO DOS FUTUROS ENFERMEIROS

Aconteceu há poucos dias um encontro de conversa entre os acadêmicos do ESH – Estágio Supervisionado Hospitalar e a Enfermeira da CCIH -  Comissão de Controle de Infecção Hospitalar e a Técnica de Segurança do SESMT – Serviço Especializado de Engenharia e Segurança do Trabalho. Neste momento aproximamos a expectativa do futuro enfermeiro ao conhecimento de profissionais experientes na questão da Infecção Hospitalar e Segurança do Trabalhador. Ms. Neiva Claudete Brondani Machado
 



II ENCONTRO DE VIVÊNCIAS ESH 2014-1: AS REPERCUSSÕES DOS RELATOS DE VIVÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM

Os Encontros de Vivência já são marca registrada dos ESHs – Estágios Supervisionados Hospitalares. Possuem características singulares e permitem ao quase formando vivenciar através do debate situações que talvez levassem anos para perceber no contexto do mundo do trabalho.

Esta realidade de diálogo argumentativo e respeito a opinião das pessoas do grupo torna-se um espaço prodigioso de crescimento profissional, já percebido como tal pelos educandos.
Dr. Narciso Vieira Soares
Ms. Neiva Claudete Brondani Machado

ESH 2014-1 ELABORA BANNER SOBRE PROTOCOLO DE REANIMAÇÃO EM PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA SEGUNDO AHA – 2010 “American Heart Association”

Idealizar e desenvolver uma importante ferramenta de informação no atendimento de Parada Cardiorrespiratória foi ao grupo do Estágio Supervisionado Hospitalar – ESH um desafio e uma conquista.
A ideia surgiu na verificação de que as equipes de enfermagem necessitam estar capacitadas para esse tipo de atendimento. Neste enfoque identificar que esse atendimento possui particularidades antes da via aérea avançada e depois desta adquirida, direciona ao cuidado maior segurança e efetividade. Em outras palavras, a reanimação tem maiores chances de êxito quando a equipe está preparada para agir com conhecimento, calma e propriedade. Em outras palavras significa “salvar mais vidas”...  
Sendo assim, surge este Banner Informativo que será disponibilizado aos Postos de Enfermagem das áreas abertas do Hospital Santo Ângelo no intuito de que o olhar acadêmico possa agregar saber e contribuir com o dia-a-dia dos profissionais de enfermagem nas instituições de saúde.
Ms Neiva Claudete Brondani Machado e Acadêmicos Amanda P. Santana, Chystian F. Antunes, Dalvana B. Varlett, Janine G. de Ávila, Luciéle M. de Castro, Maria Helena R. Wolf, Regina dos S. Schneider.

quinta-feira, 24 de abril de 2014

COM A PALAVRA: OS ALUNOS DO ESH – ESTÁGIO SUPERVISIONADO HOSPITALAR 2014-1

“O Estágio Supervisionado Hospitalar proporciona a cada dia um novo aprendizado aos acadêmicos de enfermagem, para que possamos prestar um cuidado qualificado aos sujeitos” (Acadêmica Mariane Dorneles Costa Turchiello).

“O ESH vem para transformar o acadêmico e auxiliar no enfrentamento da realidade de ser Enfermeiro. Trás o peso da responsabilidade, ensina a importância da organização e do respeito na formação pessoal e profissional em nossas vidas” (Acadêmica Janine Goldschmidt de Ávila ).

“O ESH é como montanha russa, que permite vivenciar momentos de alegria e prazer, mas também situações de angústias e medo. Mas o que difere, é que no ESH você não pode ser apenas o passageiro” (Acadêmica Patrícia Friske Schwiderke).

“Enfermagem: amor à vida! Experiência e muito aprendizado com a equipe de enfermagem neste Estágio Supervisionado” (Acadêmica Rení Maria Arenhardt Thomas).

“Crescendo e aprendendo juntos” (Acadêmica Luciana de Fátima Pires Copetti).

“A grandeza do cuidar acentua-se a cada procedimento, tornando essa profissão mais atraente a cada dia de ESH” (Acadêmica Elisa Boeira de Oliveira).

“No ESH aprendemos todos os dias. Aproveitar ao máximo é o segredo. Cuidar o outro de forma humana, também” (Acadêmica Camila Weber Freitas).

“O ESH é o momento em que começamos a nos tornar independentes frente aos desafios” (Acadêmica Dalvana Bueno Varlett).

“O ESH é uma oportunidade para vencermos nossos medos, vivenciando a prática de ser enfermeiro, fazendo dos desafios enfrentados possibilidades de crescimento profissional” (Acadêmica Luciéle Machado de Castro).

“O Estágio Supervisionado Hospitalar vem para ‘quebrar’ alguns medos e tabus em relação à assistência - prática de ser enfermeiro” (Acadêmica Amanda Pontin Sant’ana).

“O ESH é o momento de colocarmos em prática todos os nossos conhecimentos e adquiri-los com maior intensidade. Oportunidade única e de excelente aprendizado” (Acadêmica Regina dos Santos Schneider).

“O ESH permite lapidar a pedra bruta do conhecimento acumulado durante toda a graduação, transformando em jóia preciosa, tal qual é o Enfermeiro no cotidiano da saúde” (Acadêmico Chrystian Fogaça Antunes).

“No início foi muito difícil, pensei que não ia dar conta, mas com o passar dos dias a visão foi se transformando e hoje posso afirmar: tudo é possível, basta ter força de vontade, persistência e dedicação” (Acadêmica Maria Helena Robaldo Wolff).

“O Estágio Supervisionado é muito bom, pois é o momento em que temos mais liberdade para realizar coisas” (Acadêmica Cássia Paola Rolim).

“O ESH permite a nossa experiência e prática como futuros enfermeiros, onde podemos enfrentar nossos receios e aprender mais sobre a realidade, que logo será a nossa” (Acadêmica Marciéle Braga dos Santos).

A experiência de supervisionar o ESH tem nos permitido investir em novas tentativas de reflexão e críticas no contexto do cuidado enquanto enfermeiros. É possível sim ofertar um modo diferente de visualizar as situações e de enfrentamento dos dilemas éticos da profissão.
A ideia de proporcionar um estágio supervisionado dinâmico e que possa deixar profundas marcas nos acadêmicos perpassa o pensamento de que existe um perfil de profissional do futuro na nossa profissão. Profissional que vai para além da preocupação com procedimentos e técnicas, tão importantes e essenciais no cuidado humano, mas que, sobretudo, tenha argumentação e atitude frente aos acontecimentos que envolvem o cuidar e, que possam reconhecer nas relações de trabalho com a equipe, momentos únicos de crescimento, valorização do outro e respeito aos limites sociais (Professora Ms Neiva Claudete Brondani Machado; Professor Dr Narciso Vieira Soares).